Beleza Extraordinária

Proteção solar: descubra o FPS ideal para o seu tom de pele

  • A tonalidade da pele pode ajudar a descobrir o fator de proteção mais indicado para cada pessoa
Tela cheia
Previous Next
A tonalidade da pele pode ajudar a descobrir o fator de proteção mais indicado para cada pessoa

Seja durante as altas temperaturas do verão ou no frio do inverno, o uso do filtro solar contra raios UV é indispensável para todas as pessoas. Se existe um assunto que gera unanimidade entre os dermatologistas, este é a gravidade dos efeitos nocivos das radiações solares na pele, sem a proteção adequada. Além de aplicar o protetor solar nos dias mais quentes, é importante ficar atenta ao fator FPS escolhido para cada pele e intensidade solar, já que os diferentes valores podem ajudar a manter a proteção ideal contra os raios solares, prevenindo ainda o aparecimento de rugas e envelhecimento precoce.

Entenda o que é FPS

Assim como os demais cosméticos, o filtro solar guarda algumas nomenclaturas que podem gerar diversas dúvidas. A sigla FPS é uma dessas que, apesar de ser uma grande conhecida do público feminino, ainda desperta alguns questionamentos. "FPS é a sigla de Fator de Proteção Solar. Ele indica quantas vezes mais tempo a pessoa poderá ficar exposta ao sol sem ocasionar eritema (coloração avermelhada da pele). Desta forma, o FPS 15, por exemplo, protege a pele por um tempo 15 vezes maior do que se ela estivesse exposta ao sol sem nenhuma forma de proteção", explicou a dermatologista Apoloina Sales, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Tonalidade da pele pode ajudar a indicar FPS ideal

A tonalidade da pele também pode influenciar na incidência do sol na mesma, ocasionando danos que variam de leves até mais rigorosos. "Dependendo da sua cor e da forma como fica vermelha após a exposição solar, selecionamos um determinado tipo de protetor", explicou a dermatologista Gabriella Albuquerque, membro do Departamento de Cosmiatria da SBD-RJ.

O fator de proteção para momentos onde a exposição solar será maior - como na praia ou piscina - não deve ser abaixo de 30, pois ajudará a manter a pele protegida dos raios UVB, famosos por causar vermelhidão e sensação de ardência na cútis. Verificar a presença do PPD (que significa "Persistent Pigment Darkening") no filtro solar também é indispensável, segundo a especialista Gabriella Albuquerque. "O PPD mede o bronzeamento que a sua pele sofre após a exposição ao raio Ultravioleta A (UVA). A conceituação do PPD é feita através de cruzes (+). Um bom filtro solar deve ter 3 cruzes (+++). O UVA também causa câncer de pele e envelhecimento precoce", explicou.

Para garantir uma proteção ainda mais intensa, no entanto, a especialista afirma que cada tonalidade de pele deve contar com fator de proteção e PPD diferentes:

Pele clara e muito clara: FPS 50 e PPD +++

Morena clara: FPS 40 PPD ++/+++

Morena escura: FPS 30 PPD +/++

Negra: FPS 30 PPD +

Quantidade do produto reduz o fator de FPS

A aplicação do filtro solar contra raios UV também pode ter ação direta no fator de proteção. Segundo estudo realizado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), caso a quantidade espalhada no corpo seja inferior a indicada, o FPS pode ser reduzido até a metade do indicado na embalagem do produto. Os pesquisadores afirmam que o ideal é aplicar cerca de 2 miligramas (uma colher de chá) de filtro solar por centímetro quadrado de corpo.

Mais importante do que o FPS do filtro solar, no entanto, é a reaplicação do produto na pele no intervalo de tempo indicado pelos dermatologistas. A especialista Apoloina Sales afirma que o filtro solar deve ser depositado no rosto e na pele em um intervalo de quatro horas no dia a dia, enquanto para momentos de exposição solar mais intensa, a aplicação deve acontecer a cada duas horas, tanto nas estações mais frias quanto naquelas em que o sol aparece mais forte.

Temas relacionados
Cicatrização capilar:

o que é e por que apostar? Confira!