Beleza Extraordinária

Marcas de acne: confira o jeito certo de tratar hiperpigmentação, sulcos e cicatrizes deixados pelas espinhas

  • Saiba como tratar cada tipo diferente de marca de acne
Tela cheia
Previous Next
Saiba como tratar cada tipo diferente de marca de acne

A acne é um dos problemas de pele mais comuns, e quem sofre com espinhas e cravos sabe que as marcas que elas podem deixar na pele também são muito inestéticas. Algumas mais profundas chegam a permanecer na pele por anos e anos, deixando-a com aspecto envelhecido e irregular. Manchas e cicatrizes como sulcos ou pequenos relevos são os mais frequentes e cada uma das diferentes marcas têm um tratamento específico. Confira!

Hiperpigmentação deve ser tratada com peelings e fórmulas clareadoras

A hiperpigmentação ou as manchinhas que ficam depois de uma espinha inflamada secar por completo, são mais comuns nas morenas e negras, e são muitas vezes confundidas com cicatrizes. "Elas deixam a pele com uma textura irregular, enquanto a hiperpigmentação apenas deixa a pele manchada, com aspecto amarronzado ou avermelhado", explicou Kerry Benjamin, dermatologista e fundadora do StackedSkincare Spa em Los Angeles, ao site Byrdie. "Estas manchas são o resultado de lesões acneicas inflamatórias, depois de secas". Para evitar que se agravem, é muito importante usar protetor solar todos os dias, e para o seu tratamento, o ideal é apostar nos peelings físicos e em um cuidado noturno clareador.

Cicatrizes com relevo são as mais difíceis de tratar

Por vezes, a acne cística, aquela mais inflamada e dolorosa, pode deixar cicatrizes com relevo na pele, as chamadas hipertróficas. "Embora menos comum, este tipo de marca ocorre graças à produção excessiva de colágeno durante o processo de cicatrização", explica a dermatologista. "Estas cicatrizes, também chamadas de queloides, fazem com que pareça que você ainda tem acne mesmo quando todas as suas espinhas já sumiram". Embora existam alguns cremes específicos para diminuir o aspecto destes relevos, eles não as eliminam por completo. "Os dermatologistas usam soluções tópicas de esteróides ou mesmo em injeções para resolver o problema, mas muitas vezes as marcas reaparecem após alguns anos". 

Peelings químicos e tratamentos a laser são a chave para eliminar pequenos sulcos 

O contrário acontece quando a pele não produz colágeno suficiente para cicatrizar as espinhas, criando pequenos sulcos no rosto. "As chamadas cicatrizes hipotróficas devem ser tratadas com produtos que acelerem a produção de colágeno, além de peelings químicos e tratamentos a laser", entregou Kerry. "Em casa, pode apostar nas técnicas de 'microneeldling', feitas com um rolo de pequenas agulhas, em conjunto com séruns e retinol". Para disfarçar este problema durante o tratamento, primers à base de silicone como o Blur Mágico são excelentes para aplicar antes da maquiagem, já que preenchem os pequenos buraquinhos criando a ilusão de uma pele lisa e aveludada.

Temas relacionados
Skincare:

Como usar argila no rosto? Veja para que serve cada máscara facial

últimas matérias

Ver mais