Beleza Extraordinária

Devo passar repelente na pele embaixo da roupa? Tire todas as suas dúvidas sobre o assunto e conheça a melhor alternativa para afastar os mosquitos

  • Descubra se é preciso aplicar o repelente na área da pele que já está coberta com roupas (Foto: Instagram @africanmelaninnn)
  • Se estiver usando roupas finas em locais abertos, a dica é usar um protetor solar com repelente na pele coberta pelo tecido, já que o item não tem cheiro forte e o risco de intoxicação é menor (Foto: Shutterstock)
  • Se estiver usando roupas mais grossas, a dica é aplicar o repelente apenas na pele exposta (Foto: Instagram @joyjah)
Tela cheia
Previous Next
Descubra se é preciso aplicar o repelente na área da pele que já está coberta com roupas (Foto: Instagram @africanmelaninnn)
  • Descubra se é preciso aplicar o repelente na área da pele que já está coberta com roupas (Foto: Instagram @africanmelaninnn)
  • Se estiver usando roupas finas em locais abertos, a dica é usar um protetor solar com repelente na pele coberta pelo tecido, já que o item não tem cheiro forte e o risco de intoxicação é menor (Foto: Shutterstock)
  • Se estiver usando roupas mais grossas, a dica é aplicar o repelente apenas na pele exposta (Foto: Instagram @joyjah)

O repelente passou a ser item de proteção essencial à saúde, não apenas no verão ou na primavera, mas em qualquer época do ano, por causa da disseminação do mosquito Aedes aegypti - responsável por doenças como zika vírus e dengue. Por mais que o repelente exista há um bom tempo, hoje, muitos ainda têm dúvidas sobre a sua aplicação, e uma delas é sobre aplicar ou não o produto em áreas da pele que estejam cobertas com roupa ou com lençol, durante a noite. Saiba todos os detalhes e descubra!

Repelente não deve ser aplicado embaixo das roupas por causa do risco de intoxicação

A ideia do repelente é proteger a pele da aproximação do mosquito. A roupa já age como uma barreira para os insetos e, por isso, de acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia, o ideal é não aplicar o repelente na área que estiver coberta, por causa do risco de intoxicação: é que a pele pode ficar "abafada" e o cheiro do repelente pode fazer mal às pessoas sensíveis. No entanto, os mosquitos podem picar por cima de tecidos finos, como seda ou meia-calça, e nesses casos, o ideal é passar um repelente em spray por cima das roupas.

Já durante a noite, os mosquitos também podem picar através do lençol, mas a Sociedade Brasileira de Dermatologia ainda assim indica evitar passar o repelente no corpo inteiro, por causa do risco de intoxicação durante o sono. A dica é proteger-se dormindo com calças e roupas de manga comprida, fechar janelas e utilizar ventiladores e ar-condicionado para afastar os mosquitos.

Protetor solar com repelente é ideal para diminuir risco de intoxicação

Se você estiver na praia ou em uma área aberta como fazenda ou sítio, e estiver usando roupas superleves como uma saída de praia, por exemplo, vale proteger a pele coberta com um protetor solar que também seja repelente. Esse tipo de produto costuma ter o cheiro bem mais suave, o que é vantajoso para donas de pele sensível, e conseguem proteger a pele da mesma maneira. Assim, o risco de intoxicação será muito menor. Além disso, essas fórmulas não têm risco de intoxicação quando aplicadas no corpo inteiro.

Protetor solar com repelente deve ser reaplicado a cada 2 horas

Em locais abertos durante o dia, o protetor solar já é item fundamental para evitar queimaduras e envelhecimento precoce da pele. Ao usar um protetor solar com repelente, você diminui a preocupação em aplicar dois produtos para proteger a pele do sol e dos mosquitos ao mesmo tempo: a vantagem é que o item deve ser reaplicado a cada 2 horas, mesmo tempo de intervalo de um protetor solar comum. A dica é aplicar apenas uma vez na pele coberta com a roupa leve e reaplicar de 2 em 2 horas nas áreas expostas, como braços, pernas e barriga.  

Redação: Beatriz Doblas

Temas relacionados
Água micelar:

como remover a maquiagem com o produto?