Beleza Extraordinária

Descubra se alisamento à base de guanidina é compatível com escova progressiva

  • A escova progressiva pode ser feita combinada a tratamentos definitivos, como o alisamento à base de guanidina, pois sua composição é muito próxima à dos cabelos
Tela cheia
Previous Next
A escova progressiva pode ser feita combinada a tratamentos definitivos, como o alisamento à base de guanidina, pois sua composição é muito próxima à dos cabelos

Parece um contrassenso. Cerca de 70% das brasileiras possui cabelos cacheados ou crespos, no entanto, a maioria prefere recorrer a tratamentos químicos ou mecânicos para garantir fios lisos. Com a enorme quantidade de técnicas oferecidas pelo mercado de beleza, pode parecer difícil até mesmo escolher em qual procedimento apostar, então, na hora de combinar dois deles é necessário ter atenção redobrada.

O ponto de partida para escolher o alisamento ideal é saber qual é o resultado desejado, já que há opções definitivas e temporárias, além do caimento das madeixas mais natural ou chapado. Em seguida, é preciso conhecer a maneira como o procedimento irá alterar a forma da fibra capilar, transformando os fios de cacheados em lisos. Depois, com orientação profissional, é porrsível identificar se as químicas são compatíveis.

Alisamento garante resultado definitivo


O hidróxido de guanidina é um componente usado em procedimentos para alisamento definitivo. Devido ao seu pH alcalino, a substância é capaz de provocar a abertura das cutículas dos fios para intensificar a penetração do produto. A guanidina quebra as pontes dissulfeto da queratina, em um processo denominado "lantionização", que é a substituição de um terço dos aminoácidos de cistina por lantionina.

As pontes dissulfeto são responsáveis pelo formato dos fios e ligam as proteínas encontradas no interior dos fios. "Com a quebra das pontes dissulfeto, o fio sofre relaxamento, então, o profissional consegue o alisamento desejado", afirma o cosmetologista Solange Andrade. Por isso, a concentração de susbtâncias deve ser estritamente controlada, caso contrário, há risco de quebra dos fios.

Progressiva é ideal para quem quer fios lisos temporariamente


Já a escova progressiva promove um alisamento temporário. O tratamento é feito com produtos à base de proteínas em pH ácido, como a queratina, e forma uma camada externa, por isso, não muda a estrutura do fio. "Estas substâncias não possuem pH alcalino, portanto não atingem o córtex. Sua ação se dá apenas na cutícula, não existe penetração", explica a cosmetologista.

Diferente da guanidina, a escova de proteínas não quebra as pontes dissulfeto, apenas alinha os fios ao formar uma nova camada de queratina ao redor deles, forçando o formato liso e camuflando o enrolado. Os efeitos da progressiva duram, em média, quatro meses, mas variam de pessoa para pessoa, já que ações como lavagem frequente e uso de shampoo antirresíduos podem acelerar o processo.

Escova de proteínas pode ser removida por tratamento definitivo


A composição da escova de proteínas é muito parecida com a do cabelo, por isso, ela pode ser feita combinada a outros tratamentos, como o alisamento à base de guanidina. O único porém é que um segundo procedimento pode diminuir os efeitos da escova. "Uma química permanente pode até mesmo remover a camada de queratina, pois ela está depositada apenas na cutícula dos fios e será danificada pela ação dos produtos de pH alcalino", garante Solange.

Como estes processos químicos são agressivos, o ideal é que sejam realizados por um profissional de confianaça. Além disso, é fundamental fazer o teste de mecha antes de realizar o procedimento em toda a extensão dos cabelos para garantir que ambos os tratamentos são compatíveis. Após o alisamento, o cuidado com as madeixas deve aumentar. Para combater o ressecamento, aposte em hidratações semanais.
Temas relacionados
Skincare:

Como usar argila no rosto? Veja para que serve cada máscara facial

últimas matérias

Ver mais