Beleza Extraordinária

Corte químico: saiba o que é, quando acontece e como tratar o dano nos cabelos

  • Veja o que é um corte químico e entenda como tratar as madeixas danificadas pelo processo (Foto: Shutterstock)
  • O cronograma capilar é uma das melhores maneiras de recuperar os cabelos com corte químico (Foto: Shutterstock)
  • O corte com tesoura também pode ajudar a renovar os cabelos depois de um corte químico (Foto: Shutterstock)
Tela cheia
Previous Next
Veja o que é um corte químico e entenda como tratar as madeixas danificadas pelo processo (Foto: Shutterstock)
  • Veja o que é um corte químico e entenda como tratar as madeixas danificadas pelo processo (Foto: Shutterstock)
  • O cronograma capilar é uma das melhores maneiras de recuperar os cabelos com corte químico (Foto: Shutterstock)
  • O corte com tesoura também pode ajudar a renovar os cabelos depois de um corte químico (Foto: Shutterstock)

Cabelos elásticos, ásperos e super frágeis a ponto de quebrar logo depois de luzes, escova progressiva ou alisamento precisam de atenção: esses sintomas podem significar que um corte químico está acontecendo nas madeixas! Já ouviu falar nesse termo? Sabe o que ele representa para a saúde dos fios?

Se tudo isso é novidade para você, chegou a hora de entender melhor o que é um corte químico, por que ele acontece e como é possível evitar que danos desse tipo comprometam o visual - afinal de contas, vale a pena aprender o jeito certo de apostar nas químicas e manter os cabelos saudáveis bem alinhados, né? Entenda mais na matéria!

O que é o corte químico? Saiba o que pode causar o dano das madeixas

Sabe quando uma mecha parte ao meio, como se você tivesse passado uma navalha ou tesoura nela? Isso é exatamente o que o corte químico faz, e por esse motivo o nome bem específico. O cabelo se encontra tão danificado pelas químicas que chega ao nível de se quebrar sozinho - e isso pode acontecer em qualquer altura de uma ou todas as mechas, comprometendo o comprimento ou as pontinhas do visual. 

Porque o corte químico acontece: para chegar a esse ponto, foi preciso que o fio sofresse uma agressão beeem intensa, certo? Mas nem sempre é proposital. Em geral, o corte químico acontece por causa da junção de duas ou mais químicas incompatíveis nas madeixas, o que acaba fazendo com que os fios quebrem na divisa entre a parte "virgem" e a parte com química. 

Quais são os sinais de um corte químico? Se o seu cabelo começar a formar muitas pontas duplas (ou triplas), tomar uma textura áspera, perder totalmente o brilho e cair em abundância, pode ligar o sinal vermelho! Isso significa que o fio está prestes a partir.

Teste de mechas é a melhor maneira para evitar que o corte químico detone o visual

A chave do sucesso quando se trata de químicas é prevenção! E para isso, o primeiro passo é não arriscar fazer nada nos cabelos antes de realizar um teste de mechas no salão ou até mesmo em casa. Esse passo é necessário porque fios que já têm tintura ou alisamento costumam ser mais frágeis do que os virgens, logo, devem ser acompanhados de pertinho. Para se resguardar de problemas, o passo a passo é simples e deve ser feito 48h de aplicar a química em todos os fios:

1- Separe uma mecha de cabelos na nuca - assim, caso alguma coisa ruim aconteça, os outros fios poderão esconder a parte danificada;

2- Após aplicado o produto, espere mais ou menos 45 minutos até ele agir nos seus fios;

3- Depois disso, o próximo passo é lavar e secar a mecha normalmente para, então, entender como o cabelo vai reagir com a química;

4- Se o cabelo apresentar qualquer um dos sinais descritos acima, é melhor ligar o sinal vermelho e entender que não vale a pena insistir, ok? 

Cronograma capilar é a melhor saída para evitar problemas com o cabelo já danificado

Se já é tarde demais e o corte realmente aconteceu, a boa notícia é que existem algumas maneiras de controlar a situação. O primeiro passo é analisar o tamanho do dano nos fios e apostar num corte discreto ou mais radical para retirar a parte não saudável com a tesoura. Depois disso, o segredo é apostar num cronograma capilar completo, alternando hidratações, reconstruções e nutrições da maneira que o seu visual realmente precisa para se recompor o mais rápido possível.

E por falar em rapidez, vale reforçar: nada de pressa, viu? O processo todo é feito aos poucos, no ritmo do seu cabelo. Até que tudo volte ao normal, é melhor dar um tempinho da prancha, secador e babyliss, apostar nos produtos reparadores como o leave-in e, claro, esperar um pouco até realizar outra química nos fios

Redação: Raquel Carletto

Temas relacionados
Tem o dia corrido?

Essa rotina de cuidados é perfeita pra você!