Beleza Extraordinária

Corte químico: saiba como evitar danos aos cabelos quimicamente tratados

  • Entenda o que é o corte e a dobra química e evite os problemas capilares
Tela cheia
Previous Next
Entenda o que é o corte e a dobra química e evite os problemas capilares

As mudanças no visual sempre estimulam a autoestima das mulheres, por isso as madeixas acabam sofrendo drásticas transformações, seja com cortes diferentes, relaxamentos, alisamentos, luzes ou tinturas. O problema é que muitas vezes as químicas utilizadas podem ser incompatíveis e deixar os fios ressecados, sem brilho e até mesmo causar a quebra e queda dos cabelos.

Nem mesmo as celebridades estão livres desses problemas capilares e precisam ficar alertas com os produtos utilizados. A atriz Jennifer Aniston, dona de um dos cabelos mais invejados do mundo, apareceu com as madeixas loiras mais curtas do que costuma usar, pouco acima dos ombros. Em entrevista à revista Elle UK, a estrela contou que precisou cortar os fios após fazer uma escova progressiva - procedimento muito comum no Brasil. "Na verdade, cortei meus cabelos há dois dias. Não foi para um papel. Meu cabelo passou por uma fase. Fiz uma química brasileira e meu cabelo não reagiu muito bem. Agora, ele está uns dois dedos acima dos meus ombros", revelou.

Incompatibilidade de produtos pode causar corte químico

O corte químico pode resultar na necessidade de apelar para a tesoura, pois só assim conseguirá cabelos bonitos e com fios igualados novamente. A incompatibilidade de químicas usadas nas madeixas e o tempo de permanência do produto podem causar uma reação química no interior dos fios, fazendo com que eles quebrem exatamente na divisa da parte virgem com a quimicamente tratada. Dependendo do produto utilizado, as madeixas podem quebrar na hora em que a química é aplicada ou alguns dias depois. A intensidade da agressão vai influenciar também na quantidade de fios que podem cair após a aplicação.

Aplicar o produto rente à raiz pode ocasionar a dobra química

A dobra química, por sua vez, se dá quando a química é aplicada junto à raiz dos cabelos. Por natureza, os fios nascem para cima e conforme vão aumentando eles caem para os lados, devido à força da gravidade. Quando os produtos de alisamento ou relaxamento são aplicados rente ao couro cabeludo, os fios que irão crescer posteriormente vão seguir uma direção diferente dos quimicamente tratados, causando uma dobra em forma de "v", onde o fio se partirá.

Teste pode evitar que os fios quebrem após procedimentos capilares

Cabelos que já são quimicamente tratados são mais frágeis que os virgens, por isso é indispensável realizar um teste de compatibilidade para evitar que os fios quebrem ou caiam. Normalmente, o teste é feito com uma mecha de cabelos da nuca, 48 horas antes de aplicar o produto em todas as madeixas. Desta forma, é possível ter certeza que os fios irão suportar a química utilizada. Já para evitar a dobra capilar, o ideal é aplicar a química a uma distância de 1 cm ou 1,5 cm da raiz do cabelo, seguindo a orientação da embalagem do produto.

Temas relacionados
Skincare:

Como usar argila no rosto? Veja para que serve cada máscara facial

últimas matérias

Ver mais