Beleza Extraordinária

Coloração: porque nem sempre os cabelos ficam da mesma cor da caixinha?

  • Cabelos virgens conseguem clarear de dois a quatro tons, já coloridos precisam de decapagem para se transformar
Tela cheia
Previous Next
Cabelos virgens conseguem clarear de dois a quatro tons, já coloridos precisam de decapagem para se transformar

Escolher uma coloração de cabelo vai além de escolher um tom na caixinha e esperar que o resultado fique idêntico. Cada tinta ou tonalizante tem seu número, ou a combinação de pigmentos para conseguir uma cor específica e é preciso ficar atenta para combinar a tonalidade do produto com a cor de seus cabelos e conseguir o resultado esperado.

Clareando os cabelos

A primeira escolha a se fazer é o tipo de coloração. Os tonalizantes não modificam a cor do fio radicalmente, apenas reavivam o tom ou escurecem as madeixas, mas o efeito vai deasaparecendo gradualmente conforme os fios forem lavados. Já a tinta permanente é mais potente e consegue clarear de dois a quatro tons o cabelo "virgem", sem nenhum tipo de química. Para "abrir" mais a cor do cabelo, o colorista Daniel Oliveira explica que é possível usar descolorantes no processo, mas a saúde das madeixas pode sofrer no processo: "É possível deixar o cabelo mais claro em um único processo, mas pode custar a saúde dos fios. Um cabelo claro muito danificado não fica esteticamente bonito", explicou.

Já para quem tem madeixas tingidas e quer mudar radicalmente, o indicado é fazer uma decapagem para mudar a cor, uma vez que a fibra capilar já tem pigmentos artificiais, o que não dá espaço para que os novos, de outras cores, se depositem. "Tintas coloridas podem até escurecer o fio, pois significa que ela estará depositando mais pigmentos na fibra capilar, mas haverá uma carga dupla de cor nos fios. Por exemplo, uma ruiva que pinta de castanho sempre terá fundo avermelhado depois de algumas lavagens. Clarear é mais difícil, porque significa a retirada do pigmento, e é preciso de uma química mais forte, como a da decapagem", contou o colorista.

Descoloração para mechas pode "abrir" de cinco a seis tonalidades

O processo de reflexos, muito indicado para quem quer ficar loira aos poucos, é diferente, porque não tem as mesmas etapas da coloração normal. Para criar esses highlights, é preciso descolorir as mechas com o processo escolhido, como o de touca e papel, que podem "abrir" de cinco a seis tons, dependendo da textura do cabelo - se é grosso ou fino -, e depois matizar para que ele não fique alaranjado, como explica Daniel: "cabelos finos e grossos devem se tratados diferentes porque os mais finos clareiam mais rápido, do mesmo jeito que conseguem carregar mais pigmento na coloração, o que significa que terá o resultado diferente dos grossos. Já a matização é importante para todos os tipos, para que não puxe para o avermelhado, o que acontece com 90% das brasileiras, que tem cabelos de base castanha e fundo avermelhado, fazendo com que os fios fiquem amarelos ou laranjas depois dos reflexos", contou.

Matização ajuda a eliminar reflexos "insistentes"

A matização leva em consideração o círculo cromático para anular o reflexo. O segredo consiste em escolher cores adversas para pintar os cabelos, para retirar o reflexo predominante. Por exemplo: quem tem cabelos ruivos e quer ir para o castanho, não pode usar uma coloração com base 5, 6 e 7 (escala de castanhos), mas sim escolher algo com reflexo acinzentado, pois eles "anulam" os acobreados, como o 7.1 (loiro acinzentado). Para não correr qualquer risco, peça ajuda a um colorista porque o processo exige conhecimento específico sobre como cada reflexo do cabelo vai reagir em complemento a outro.

Esse processo é importante para reavivar os reflexos que costumam ficar alaranjados com o tempo e também em mudanças de tonalidadea muitos diferentes, como do preto azulado para o castanho - que apesar da base escura têm reflexos diferentes - ou para o vermelho, porque a nuance fria do preto pode "anular" o avermelhado e não deixar a cor viva.

Quando a mudança é para cores da mesma gama, como um castanho mais profundo para um mais claro ou o ruivo avermelhado para o acobreado, o indicado é desbotar com mais lavagens e usar o shampoo anti-resíduos, que abre a cutícula do fio e deixa o pigmento "sair" mais facilmente da fibra capilar. O motivo, segundo Daniel é que o reflexo vermelho não precisa ser matizado, porque ele se mantém forte no cabelo e se adapta quando está na mesma gama.

Cabelos brancos têm os mesmos resultados que fios normais

Quem já tem os primeiros cabelos brancos não precisa ter medo de errar na coloração porque apesar de mais grosso e resistente, esses fios podem ter a mesma transformação que os normais. A diferença fica para quem tem mais de 30% das madeixas grisalhas, pois haverá a necessidade de misturar tintas de base (as que têm zero no final ou um único número, como "2.0" ou apenas "2", dependendo do fabricante), para conseguir um resultado uniforme. O motivo dessa mistura é que os cabelos brancos não conseguem absorver os reflexos, só a nuance principal, por sua estrutura química diferente, o que fez com que a coloração não fixe nesses fios e saia mais rápido das madeixas.

Temas relacionados
Skincare:

Como usar argila no rosto? Veja para que serve cada máscara facial

últimas matérias

Ver mais