Beleza Extraordinária

Pele jovem em todas as etnias: dicas de rejuvenescimento para cada tipo de beleza

  • Aos 36 anos, Camila Pitanga representa bem a mulher brasileira com seus traços miscigenados e não abre mão do filtro solar diário (Foto: Agnews)
  • Tyra Banks é dona de uma bela pele negra e não dispensa os cuidados para que ela esteja sempre bem iluminada
  •  A pele oriental, como a de Lucy Liu, é bastante resistente aos efeitos do tempo, mas requer cuidados extras, como a prevenção de manchas e cremes hidratantes para combater a falta de umidade 
  
  •  Eva Mendes é dona de um tom de pele bem latino, que exige cuidados redobrados para a prevenção do surgimento de manchas, como o melasma 
  
  •  Heidi Klum tem a pele bem clara e não abre mão do filtro solar diário com alto fator de proteção para combater rugas e linhas de expressão 
  
Tela cheia
Previous Next
Aos 36 anos, Camila Pitanga representa bem a mulher brasileira com seus traços miscigenados e não abre mão do filtro solar diário (Foto: Agnews)
  • Aos 36 anos, Camila Pitanga representa bem a mulher brasileira com seus traços miscigenados e não abre mão do filtro solar diário (Foto: Agnews)
  • Tyra Banks é dona de uma bela pele negra e não dispensa os cuidados para que ela esteja sempre bem iluminada
  •  A pele oriental, como a de Lucy Liu, é bastante resistente aos efeitos do tempo, mas requer cuidados extras, como a prevenção de manchas e cremes hidratantes para combater a falta de umidade 
  
  •  Eva Mendes é dona de um tom de pele bem latino, que exige cuidados redobrados para a prevenção do surgimento de manchas, como o melasma 
  
  •  Heidi Klum tem a pele bem clara e não abre mão do filtro solar diário com alto fator de proteção para combater rugas e linhas de expressão 
  

Os sinais da idade chegam em momentos e intensidades diferentes de acordo com cada tipo de pele. Negras, brancas, orientais e mestiças desenvolvem rugas, flacidez e manchas em diferentes níveis e maneiras e cada uma pode ter uma forma distinta de cuidar da própria beleza e amenizar os sinais da idade. Confira algumas dicas para minimizar os efeitos da passagem do tempo de acordo com cada tipo de beleza e ainda, pequenos truques para iluminar a pele e valorizar seus traços.

Efeitos do tempo nas mulheres com beleza multiracial

Esse é tipo mais comum no Brasil. O país, marcado pela rica miscigenação de etnias, é repleto de mulheres que unem traços africanos, indígenas, europeus e asiáticos em suas famílias. Devido a essa enorme mistura de povos, é quase impossível prever o envelhecimento que a pele terá. Assim como algumas características de determinada etnia são predominantes nos traços, provavelmente o mesmo ocorrerá no que diz respeito a resposta da pele aos efeitos do tempo . Caso puxe mais a pele negra, por exemplo, provavelmente a preocupação com rugas não virá até bem depois dos 30 anos.

O envelhecimento varia de pessoa para pessoa em peles miscigenadas, mas há alguns problemas comuns, como a super pigmentação de algumas áreas - uma vez que os negros e asiáticos tendem a desenvolver maior quantidade de melanócitos (células responsáveis pela pigmentação) - e a flacidez, que aparece, em média, a partir dos 40 anos e é herança genética, em grande parte, dos povos de origem branca. Para combater esses sinais da idade, o segredo é investir em cremes anti-idade principalmente para a área dos olhos, que tende a ficar flácida mais rapidamente, e produtos dermatologicamente desenvolvidos para clarear as zonas marcadas.

Peles negras são menos propensas a ter rugas

As donas de pele negra, provavelmente não terão problemas sérios com rugas até que atinjam os 50 anos. A boa quantidade de melanina extra minimiza a formação de tumores cutâneos e funciona como um protetor solar natural. Segundo a dermatologista que é referência em pele negra, Dra. Katleen Conceição, "a pele negra possui maior quantidade de melanina, o que confere a ela um fator de proteção de 13,4. Ou seja, naturalmente está protegida 13,4 vezes a mais dos danos solares em relação à pele branca". Mas isso não significa que é possível deixar de aplicar o filtro solar na pele : "justamente por ter maior quantidade de melanina, a pele negra é mais propensa a desenvolver manchas e, consequentemente, o melasma", continua a doutora. Portanto, é um tipo de pele que precisa de bastante proteção para não pigmentar demais (mesmo porque, como não fica vermelha com a exposição do sol, não dá o "alerta" de que a pele está queimando).

Outro fator que torna a pele negra mais resistente do que todas as outras em relação aos efeitos do tempo são os fibroblastos. Essas pequenas células responsáveis pela produção de colágeno são bastante ativas no organismo e fazem com que a firmeza e elasticidade de peles mais escuras seja ainda maior quando comparados a outros tons de pele. E é justamente a quantidade de colágeno que facilita os tratamentos de anti-evelhecimento. "Por ter maior quantidade de feixes de colágeno, a pele negra responde mais rapidamente aos tratamentos tópicos", diz a doutora Katleen. Porém, se mulheres negras têm menor predisposição à formação de rugas e linhas de expressão, podem ser prejudicadas no que diz respeito à irregularidade do tom de pele. Ao menor sinal de irritação, os melassomas (responsáveis pela pigmentação) reagem agressivamente, levando à formação de manchas na pele. Para livrar-se delas, invista em cremes clareadores com à noite.

Protetor solar é indispensável para manter a pele branca longe de marcas de expressão

Não é mito que a pele branca tende a apresentar sinais de envelhecimento mais cedo e em maior intensidade do que a pele negra e a asiática. Como é menos preparada para receber as agressões do sol, esse tipo de pele possui mais disposição ao fotoenvelhecimento, desenvolvendo sulcos (flacidez das maçãs do rosto) e linhas de expressão com maior facilidade. Ao incidirem sobre a pele, os raios ultravioleta quebram as partículas de colágeno, podendo favorecer o aparecimento de rugas até mesmo para mulheres na faixa dos 20 anos. Assim, devido a essa falta de proteção nata dos caucasianos, o uso de protetor solar diário torna-se mais que indispensável e essencial para ter uma pele viçosa, jovem e saudável.

Mas se a pele branca sofre com os raios de sol e até mesmo desenvolve algumas manchas escuras (para tentar se proteger das agressões solares), ela também pode responder melhor aos tratamentos cutâneos. Quando aplicados à noite, os ácidos retinoicos tornam a pele mais suave, promovendo uma maturação natural das células, de forma a prevenir o câncer de pele.

Dicas para manter o viço em peles asiáticas

A maioria das mulheres de pele asiática deseja uma pele mais luminosa e radiante. Isso porque a grande maioria delas sofre com a falta de viço em algumas regiões do rosto. Apesar de, geralmente clara, a pele oriental tem uma enorme quantidade de melanócitos e depósito de melanina na pele. Por isso, assim como ocorre com a pele negra, ela tem maior proteção aos raios ultravioleta que os caucasianos, mas está propícia ao surgimento de manchas mais escuras e amarronzadas ao longo do corpo, como os melasmas - que deixam o tom da pele irregular. Para tratar esses problemas, a dica é investir, primeiramente, em um filtro solar com alto fator de proteção e, ainda, utilizar produtos para clarear as possíveis manchas que venham a surgir.

Se a quantidade de glândulas sebáceas faz com que as asiáticas não desenvolvam muita acne durante a adolescência, o número reduzido dessas glândulas também leva ao problema da desidratação da pele - que, com a chegada da idade, agrava-se ainda mais. Para combater a falta de brilho e vitalidade da pele, aposte em cremes hidratantes e adicione bastante água na dieta alimentar.

Mulheres de pele morena estão mais propensas a terem melasma

A pele característica das mulheres latinas fica no meio termo: não é tão clara quanto as peles brancas, nem escura como as negras. Se bronzeia facilmente e tem um fundo quente bastante iluminado. Há morenas que envelhecem com os mesmos aspectos das peles caucasianas, e outras que chegam à maturidade tal qual a pele negra. No entanto, a grande maioria possui o tom de pele bege com fundo marrom e, por isso, só mostram sinais de envelhecimento cerca de dez anos mais tarde que as pele claras.

A principal queixa desse tipo de pele é o surgimento de melasmas ao longo do tempo. Essas manchas marrons aparecem com maior frequência nas bochechas, queixo, lábio superior e testa e se desenvolvem não só com o passar dos anos, como também durante a gravidez. Cremes clareadores podem impedir o desenvolvimento dessas manchas e o filtro solar deve ser indispensável para prevenir o agravamento da situação, uma vez que os melasmas se desenvolvem não apenas com a luz solar, mas também com qualquer luz visível.

Cuidados básicos para todas as etnias

Apesar de cada etnia ter a sua particularidade no que diz respeito aos cuidados quanto ao envelhecimento, há algumas regrinhas que todas podem seguir para conseguir uma pele rejuvenescida por bastante tempo: uso diário do protetor solar, uma dieta equilibrada em nutrientes (de preferência com alimentos antioxidantes como kiwi, abacate, peixe, soja e mel), ingestão de muita água mineral e, é claro evitar o consumo de cigarro, drogas e álcool.

Sobre o uso de tratamentos tecnológicos, a doutora Katleen Conceição recomenda: "pode-se indicar, por exemplo, tratamentos à base de laser fracionado, laser de CO2, ultrassom e radiofrequência. Essas tecnologias podem ser associadas conforme a necessidade e histórico de cada paciente, e são recomendadas para o rejuvenescimento facial em geral, tratando rugas, linhas, manchas, melhorando o viço, a textura e a firmeza da pele."

Temas relacionados
Óleo + Creme de pentear

Descubra os benefícios da misturinha