Beleza Extraordinária

Alisamento e relaxamento: qual é a diferença?

  • Alisamento e relaxamento são feitos da mesma base de substâncias, que remodelam a estrutura do cabelo, dando um visual mais maleável aos fios. Dependendo do tempo de aplicação, o cabelo pode ter o volume reduzido, suavizando os cachos, até o visual com madeixas lisas, como no desfile da Diane von Furstenberg, primavera 2014
Tela cheia
Previous Next
Alisamento e relaxamento são feitos da mesma base de substâncias, que remodelam a estrutura do cabelo, dando um visual mais maleável aos fios. Dependendo do tempo de aplicação, o cabelo pode ter o volume reduzido, suavizando os cachos, até o visual com madeixas lisas, como no desfile da Diane von Furstenberg, primavera 2014

Entre tantas opções de procedimentos tecnológicos, o alisamento e o relaxamento continuam populares entre as brasileiras de cabelos crespos ou cacheados que desejam ter madeixas mais fáceis de domar. Enquanto o primeiro deixa as mechas com aspecto chapado, garantindo o liso perfeito que muitas mulheres desejam, o relaxamento é uma opção para tirar o volume valorizando os cachos. Apesar de manter os fios com aspecto quase natural, essa opção precisa de mais retoques, porque a diferença entre a raiz começa a aparecer a partir de dois meses após o procedimento, enquanto em cabelos que receberam alisamento o período pode se extender até seis meses, dependendo do ritmo de crescimento.

Os procedimentos são parecidos independente do composto escolhido para a aplicação, e dependem do tempo de ação no fio para conseguir o efeito desejado. "Alisamento e relaxamento são processos químicos semelhantes na sua origem. Todos alteram a forma original das hastes, que é determinada pelas pontes químicas de hidrogênio e enxofre, responsáveis naturais pela distribuição da queratina dentro do cabelo", contou a dermatologista Carolina Marçon.

Alisamento e relaxamento: resultados diferentes devido ao tempo de aplicação

Essa alteração das hastes, como explicado pela profissional membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, prepara o cabelo para a quebra da estrutura natural, processo finalizado com a aplicação de um produto estabilizador. Quando mais tempo os ativos ficarem nas madeixas, maior serão as quebras e portanto mais lisos ficarão os fios no final.

As substâncias que realizam os dois procedimentos podem não ser compatíveis com químicas anteriores, e precisam ser analisadas antes de aplicadas no cabelo. Segundo o mestre em fármaco e cosmetologia Rogerio Kreidel, entre esses ativos estão o hidróxido de sódio, que é mais duradouro em alisamentos; o hidróxido de guanidina, menos potente e mais conhecido pelos processos de relaxamentos e o tioglicolato de amônia. Como alguns desses ativos são mais fortes e podem causar queimaduras e alergias no couro cabeludo, opções mais suaves de relaxamento como o soft scap começaram a fazer sucesso porque além de tirar o volume dos cabelos, têm compostos hidratantes.

Temas relacionados
Skincare:

Como usar argila no rosto? Veja para que serve cada máscara facial

últimas matérias

Ver mais