Beleza Extraordinária

Acne em mulheres adultas: saiba quais os tratamentos mais adequados para tratar o problema em peles maduras

  • Apesar dos cravos e espinhas serem problemas comuns de adolescentes, a acne também afeta as mulheres após os 25 e precisam de tratamentos específicos
Tela cheia
Previous Next
Apesar dos cravos e espinhas serem problemas comuns de adolescentes, a acne também afeta as mulheres após os 25 e precisam de tratamentos específicos
  • Apesar dos cravos e espinhas serem problemas comuns de adolescentes, a acne também afeta as mulheres após os 25 e precisam de tratamentos específicos
  • Cuidados com a pele com acne por Daniele Corpse.

Apesar de muitas mulheres acreditarem que as acnes são problemas exclusivos dos adolescentes, os cravos e espinhas podem aparecer também após os 25 anos e causar ainda mais danos para a pele, já que a cútis sofre ainda com outros transtornos devido a idade. Segundo um estudo realizado pela Sociedade Brasileira de Dermatologia em parceria com o laboratório Theraskin, a acne é o problema de pele que mais leva as mulheres da fase adulta ao consultório médico, tornando os tratamentos uma espécie de concorrente dos produtos antienvelhecimento. "Geralmente a acne vem associada ao fotoenvelhecimento, resultado da exposição solar excessiva. Pode estar relacionada ainda a agentes externos, como o uso de cosméticos inadequados ou de medicamentos sistêmicos; oleosidade excessiva; alterações hormonais; distúrbios menstruais; alimentação errada; obesidade e até estresse", explicou a dermatologista Paula Bellotti, membro-efetivo da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

Produtos antirrugas aumentam propensão a acne

A acne na fase adulta afeta principalmente o público feminino e apresenta característica bem diferentes daquelas vistas nos adolescentes. "Na acne da mulher adulta há o predomínio de lesões papulosas e pustulosas na região das bochechas, diferente da adolescente, que normalmente possui cravos e lesões no rosto todo", afirmou a dermatologista Silvia de Mello, do Núcleo de Saúde e Beleza da Clínica Ivo Pitanguy.

Os produtos antienvelhecimento podem acabar sendo também grandes vilões na busca por uma pele livre de imperfeições. Os 25 anos, idade que mais aumenta os indícios da acne na fase adulta, é também a época onde o envelhecimento da pele começa a dar seus primeiros sinais, surgindo pequenas rugas que geram rapidamente uma busca por tratamentos para conter os efeitos da idade.Os produtos antienvelhecimento, no entanto, muitas vezes contém substâncias oleosas, que acabam obstruindo os poros e causando os tão temidos cravos e espinhas. Cosméticos, como base ou produtos hidratantes, com substâncias inadequadas para o seu tipo de pele também podem afetar a saúde da cútis e aumentar o aparecimento das acnes.

Tratamentos como esfoliação e peeling podem ajudar a manter a pele impecável

Apesar do problema ser comum entre adolescentes e adultos, os tratamentos são bem diferentes. Como a acne após os 25 anos pode ter múltiplas causas, há também vários tipos de tratamentos para combatê-la. "O tratamento da acne no adulto envolve desde medicamentos orais ou tópicos para serem administrados em casa até procedimentos em consultório. O importante é o diagnóstico preciso e a terapêutica correta", alertou a dermatologista Paula Bellotti.

Algumas ações comuns, porém, são essenciais para manter a pele sempre impecável. Um bom ritual de beleza para as mulheres que sofrem com o surgimento de cravos e espinhas é apostar em esfoliações semanais, que vão eliminar as células mortas e diminuir a oleosidade, livrando os poros entupidos. A renovação celular ajuda ainda a manter o rosto com aspecto saudável, macio e com aparência jovem. A limpeza correta da pele também começa a ganhar uma importância ainda maior na mulheres mais velhas. "Na idade adulta, notamos um aumento importante na oleosidade e uma maior retenção de substancias nos poros, devemos portanto focar numa limpeza mais adequada e cremes que auxiliem na desobstrução do poro", afirmou a especialista Gabriella Albuquerque, membro da Sociedade Brasileira de dermatologia.

Aquelas que não abrem mão do uso constante de produtos antienvelhecimento podem investir ainda em tratamentos de peeling químico, onde é aplicada uma fina camada de ácido sob a pele, promovendo o crescimento de uma nova camada superficial e retardando o processo de envelhecimento, além de tratar rugas já existentes e suavizando marcas e manchas do rosto. "Os peelings químicos tem um resultado muito rápido, pois 'secam' as espinhas e melhoram muito o viço da pele, mas também não devem ser feitos no verão porque descamam muito, podem incomodar o paciente e sem esquecer também que deixam a pele mais sensível ao sol", explicou a especialista Silvia de Mello.

Produtos favoritos
Temas relacionados
Óleo + Creme de pentear

Descubra os benefícios da misturinha