Beleza Extraordinária

Acne e espinha têm diferença? Descubra o que são e como tratar os incômodos que surgem na pele

  • Descubra se existe diferença entre a acne e as espinhas comuns e entenda o significado de cada uma
Tela cheia
Previous Next
Descubra se existe diferença entre a acne e as espinhas comuns e entenda o significado de cada uma

As temidas espinhas são um dos principais incômodos de beleza da maioria das mulheres, que procuram ter uma rotina regrada e cuidadosa para evitar o seu aparecimento. Embora sejam mais comuns na adolescência, este tipo de inflamações cutâneas também aparece na idade adulta e muitas vezes surge a dúvida: espinhas são sinônimo de acne? Para esclarecer todas as suas dúvidas, confira o significado dos conceitos e descubra se existe diferença entre ambos.   

Acne é terminologia usada para definir a inflamação cutânea como patologia

Durante a adolescência e muitas vezes também na idade adulta, o descontrole dos níveis hormonais muitas vezes leva à produção exagerada de óleos pelas glândulas sebáceas, formando pequenas obstruções de sebo, bactérias e células mortas no interior de folículos capilares na pele. Essas obstruções inflamam, criando uma condição cutânea que é comumente chamada de acne. O termo é usado especificamente para definir a doença da pele, geralmente quando esta se alastra pelo rosto todo, podendo surgir até no peito, costas e ombros. 

Espinhas são comedões de acne, geralmente quando aparecem de modo localizado

Sem espinhas, não existe acne. O termo é a definição popular para as obstruções de sebo que, em conjunto, formam a patologia da acne, sendo geralmente utilizado para designar casos isolados. Na idade adulta, é mais comum surgirem espinhas localizadas em regiões como queixo e testa, que podem indicar problemas comuns como estresse, falta de sono ou até desequilíbrios ginecológicos ou digestivos. 

Rotina regrada e de limpeza profunda é chave para uma pele livre de acnes e espinhas

Para evitar o aparecimento destas erupções tão inestéticas, é importante manter uma rotina de beleza bem regrada, para evitar o acúmulo de sujeiras externas que possam interagir com a produção de sebo. Assim, é essencial lavar o rosto de manhã e à noite com um gel de limpeza profunda, seguido da aplicação de um tônico adstringente e ainda de um hidratante leve, para deixar a pele bonita e evitar o efeito rebote. Duas a três vezes por semana, vale ainda caprichar na higienização com um produto esfoliante, para deixar os poros bem limpos e livres de células mortas e bactérias. 

Temas relacionados
Skincare:

Como usar argila no rosto? Veja para que serve cada máscara facial

últimas matérias

Ver mais