Beleza Extraordinária

3 riscos de espremer espinha: conheça os perigos de tentar eliminar a acne de forma inadequada

  • Conheça três riscos de espremer cravos e espinhas (Foto: Pixelformula)
  • Espremer os pontinhos do rosto pode gerar cicatrizes e infecções sérias (Foto: Pixelformula)
  • Rotina de cuidados e limpeza de pele ajudam a controlar a acne (Foto: Pixelformula)
Tela cheia
Previous Next
Conheça três riscos de espremer cravos e espinhas (Foto: Pixelformula)
  • Conheça três riscos de espremer cravos e espinhas (Foto: Pixelformula)
  • Espremer os pontinhos do rosto pode gerar cicatrizes e infecções sérias (Foto: Pixelformula)
  • Rotina de cuidados e limpeza de pele ajudam a controlar a acne (Foto: Pixelformula)

Quando surge alguma espinha no rosto, a primeira reação de muitas mulheres é correr para o espelho para espremer as temidas imperfeições. Mas você sabia que, apesar de dar a impressão de resolver o problema, esse hábito é contra-indicado por muitos dermatologistas? Espremer cravos e espinhas traz uma série de riscos não só à aparência da pele, mas também à saúde como um todo. Confira quatro motivos para abandonar esse hábito de vez e saiba como amenizar o problema da acne!

1. Espremer espinhas agrava as inflamações


Toda espinha e cravo possui duas partes: a externa - aquela visível e inchada, que mais incomoda na aparência da pele - e a interna, que fica sob a derme. Quando os comedões são mal manipulados, existe o risco de espremer a inflamação por dentro. Ou seja, ao invés de resolver o problema, a situação pode piorar: em muitos casos, a pele fica ainda mais vermelha e a espinha pode voltar maior e mais dolorida.

2. Pode deixar marcas e cicatrizes na pele


As espinhas são inflamações cutâneas e ativam a produção de melanina, substância responsável pela pigmentação da pele. A acne pode gerar então uma pigmentação pós-inflamatória - um processo que pode ocorrer espontaneamente, mas é estimulado principalmente pela má manipulação dos pontinhos no rosto. E mais: espremer cravos e espinhas pode gerar cicatrizes, que podem ter a aparência de um buraquinho ou se sobressair na pele. Em ambos os casos, essas marcas demoram a desaparecer, já que só podem ser tratadas com peelings e procedimentos clareadores.

3. Pode causar infecções mais sérias


O contato da unha com a pele pode gerar lesões quando você mexe nos pontinhos no rosto - que podem se tornar mais sérias se as mãos não estiverem higienizadas e os dedos, protegidos. Depois de espremer cravos e espinhas, as bactérias que estão nas mãos e debaixo das unhas entram em contato com a ferida aberta, o que pode formar um cisto ou levar a infecções mais graves que precisam ser tratadas com antibióticos. Se os comedões estiverem perto do nariz ou da boca - região muito vascularizada - o risco pode ser ainda maior: as infecções podem se espalhar pelo corpo com mais facilidade.

Veja alguns cuidados para tratar e evitar o aparecimento da acne


Ao invés de espremer cravos e espinhas, o ideal é investir nos cuidados com a pele e na prevenção da acne - principalmente depois que se conhecem os riscos que esse hábito tão corriqueiro pode trazer! Crie uma rotina de limpeza específica para seu tipo de pele, usando sabonete para o rosto, água micelar e fazendo uma leve esfoliação a cada dois dias. Ah, e sem descuidar da hidratação, já que essa etapa ajuda a controlar a oleosidade. A limpeza de pele, desde que seja feita de forma adequada, também pode ser uma boa alternativa para ajudar na prevenção dos pontinhos!

Redação: Giovanna Pego

Temas relacionados
Retoque de raiz:

Descubra qual é a sua cor de Magic Retouch!