Beleza Extraordinária

"Bad hair days" podem estar ligados ao uso de medicamentos, segundo estudo

  • O "bad hair day" pode estar ligado à remédios antidepressivos, pílulas anticoncepcionais e outras medicações
Tela cheia
Previous Next
O "bad hair day" pode estar ligado à remédios antidepressivos, pílulas anticoncepcionais e outras medicações

A famigerada expressão "bad hair day" ("dia de cabelo ruim ") descreve os dias em que os cabelos parecem não ter acordado bem. E não é simplesmente um bom creme ou óleo capilar que vai resolver o problema. De acordo com uma pesquisa realizada por cientistas da "University of Melbourne", a aparência continua nos cabelos pode estar relacionada ao uso de medicamentos para pressão arterial, depressão, acne ou mesmo analgésicos - que também podem levar à perda de cabelo.

A perda de cabelo ou enfraquecimento pode ocorrer até um ano depois de tomar medicação mas, felizmente, na maioria dos casos, a perda de cabelo ou quaisquer outras alterações são reversíveis. Em outros casos, os pacientes podem ter a certeza de os efeitos não são susceptíveis de ser permanente. "A causa da perda de cabelo ou a mudança é muitas vezes desconhecida, mas você deve sempre considerar os efeitos dos remédios", disse o professor Sam Shuster, professor de dermatologia da Universidade de Newcastle. "Quando a medicação afeta o cabelo, a mudança é geralmente leve e inverte quando é interrompida", completou.

Quimioterapia modifica a estrutura do cabelo

Os remédios da quimioterapia, por exemplo, são grandes responsáveis por modificações dos cabelos. Eles eliminam as células cancerosas, mas também atacam outras células de crescimento rápido, como as raízes do cabelo. Por isso os pacientes podem começar a perder seus fios dentro de duas ou três semanas depois do início do tratamento. Textuta, cor e forma também podem sofrer alterações, segundo a pesquisa, mas, normalmente, o cabelo volta a crescer de três a 10 meses após o fim do tratamento.

Medicamentos que podem causar alterações no fio

Alguns medicamentos usados ​​para a epilepsia têm sido associados à perda de cabelo e podem, inclusive, fazer com que cabelo liso fique encaracolado. Um dos remédios é o valproato de sódio, avaliado em vários estudos por causar a perda de cabelo, entre três e 10 por cento dos pacientes. O uso de antidepressivos também pode desencadear a queda prematura na fase de repouso do ciclo de crescimento do cabelo. Porém, essa perda é reversível, garante o professor Shuster.

A pílula anticoncepcional em intervalos longos também foi relatada como causa entre as mulheres que param de tomar a pílula após longo período de uso. Mudanças no aspecto do cabelo também podem ocorrer, porém, com menos frequência, diz o professor Shuster.


Temas relacionados
Canal de L'Oréal Paris

10 vídeos para você assistir enquanto espera a hidratação